[CURSO] – Prof. Dr. Michael Löwy -“Marxistas heterodoxos e suas interpretações de fenômenos religiosos”

Michael Löwy (1938 ) é um pensador brasileiro radicado na França, onde trabalha como diretor de pesquisas do Centre National de la Recherche Scientifique.

PROGRAMA DO CURSO

➊ Karl Marx como sociólogo da religião (24 de setembro de 2014)
A concepção da religião como “ópio do povo” é neo-hegeliana; anterior ao marxismo. O estudo materialista histórico da religião como uma das formas da ideologia, em conexão com as relações sociais, só começa com a Ideologia Alemã (1848).

➋ Friedrich Engels como sociólogo da religião (1 de outubro de 2014)
Engels se interessa sobretudo pelas formas revolucionarias da religião, como por exemplo em seu livro “clássico” A guerra dos camponeses (1850), que estuda as bases sociais do movimento anabaptista do século 16 e o papel do teólogo Thomas Münzer.

➌ Walter Benjamin (1892-1940) e a religião capitalista (8 de outubro de 2014)
Em um fragmento descoberto recentemente, datado de 1921, Walter Benjamin utiliza uma expressão de Ernst Bloch para analisar, partindo de Max Weber, o capitalismo como religião.

➍ Antonio Gramsci (1891-1937): marxismo e religião (15 de outubro de 2014)
Em seus escritos de juventude Gramsci se interessa pelo potencial utópico da religião, mas no Escritos do Carcere seu tema é o papel conservador da Igreja, e em particular dos Jesuítas, na Itália.

➎ Ernst Bloch (1885-1977) e a religião como utopia (16 de outubro de 2014)
“Ateu religioso”, Ernst Bloch aborda em seus escritos a dimensão utópica da religião; seu estudo sobre Thomas Münzer, teólogo revolucionário (1921) se inspira em Engels, mas da um especial destaque ao milenarismo cristão.

➏ José Carlos Mariátegui (1894-1930): socialismo e “mística” (22 de outubro de 2014)
Na obra do revolucionário peruano, de inspiração marxista romântica, a religião profana ocupa um lugar importante, como dimensão do projeto socialista.

➐ Lucien Goldmann (1913-1970) e a sociologia do Deus Escondido (23 de outubro de 2014)
Goldmann examina, em seu livro “O Deus Escondido” (1955) a relação entre o Jansenismo e a crise da nobreza togada no século 16. Alem disso, ele sugere que a aposta, no sentido de Pascal, é uma matriz comum da fé religiosa e da utopia socialista.

➑ E.P.Thompson (1924-1993): a religião dos operários (5 de novembro de 2014).
Partido dos escritos de Max Weber, o historiador marxista inglês E.P.Thompson estuda o papel do metodismo na submissão dos operários ao trabalho industrial – mas também a efervescência sócio-religiosa contestaria suscitada pelos metodistas dissidentes.

➒ Eric Hobsbawm (1917-2012): sociologia do milenarismo camponês. (12 de novembro de 2014).
Em seus trabalhos sobre os “rebeldes primitivos”, Eric Hobsbawm descobre o papel subversivo do milenarismo camponês, na Itália e na Andalusia, em fins do século 19.

 

 

Comentários via Facebook

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *